Tempo do Advento (Ano A) – Introdução (IV): A Árvore de Natal... É a Árvore da Vida!



A árvore de Natal foi criada por São Bonifácio, monge beneditino, que ficou conhecido como apóstolo dos germanos ou evangelizador da Alemanha. Este Santo nasceu na Inglaterra em 672 e faleceu martirizado em 5 de junho de 754. Seu nome religioso, em latim Bonifacius, quer dizer “aquele que faz o bem”. Em 718, Bonifácio esteve em Roma e o Papa Gregório II enviou-o à Alemanha, com a missão de reorganizar a Igreja local. Por cinco anos, ele evangelizou territórios que hoje fazem parte dos estados de Hessen e da Turíngia. Em 722, foi feito Bispo e, um ano depois, criou a árvore de Natal.

São Bonifácio derrubando o carvalho dedicado ao deus Thor
Em 723, São Bonifácio derrubou um enorme carvalho dedicado ao deus Thor, perto da atual cidade de Fritzlar, na Alemanha. Para convencer o povo e os druidas, que eram os sacerdotes do lendário povo celta, de que não era uma árvore sagrada, ele a cortou. Na queda, o carvalho destruiu tudo que ali se encontrava menos um pequeno pinheiro. Segundo a tradição, Bonifácio interpretou esse fato como sendo um milagre. Esse fato aconteceu no Tempo do Advento e, como ele pregava sobre o Natal, declarou: “Doravante, nós chamaremos esta árvore de Árvore do Menino Jesus”. A partir desse momento, teve início o costume de plantar pequenos pinheiros para celebrar o nascimento de Jesus, inicialmente na Alemanha, e depois por todo o mundo.
A partir do século XV, os fiéis começaram a montar as árvores em suas casas. Com a reforma protestante – que suprime as tradições do presépio e de São Nicolau –, a árvore adquire maior protagonismo em muitos países do norte. A seus pés, as crianças encontram os presentes trazidos pelo Menino Jesus, aliás, Ele mesmo o nosso maior presente de Deus!
Em 1982, a árvore foi instalada pela primeira vez na Praça de São Pedro. Nesta ocasião, o Papa São João Paulo II exclamou: “Eu creio que é o símbolo da árvore da vida, aquela árvore mencionada no livro do Gênesis e que foi plantada na terra da humanidade junto a Cristo [...] Depois, no momento em que Cristo veio ao mundo, à árvore da vida voltou a ser plantada através d'Ele e agora cresce com Ele e amadurece na cruz [...]. Devo dizer-lhes – confessava – que eu pessoalmente, apesar de ter uns quantos anos, espero impacientemente à chegada do Natal, momento em que é trazida aos meus aposentos esta pequena árvore. Tudo isso tem um enorme significado, que transcende as idades...”.
Outro detalhe interessante é que o pinheiro é a única árvore que permanece verde mesmo no inverno e por isso simboliza a Esperança nas noites de nossas vidas.
Já as bolas coloridas, que adornam a Árvore de Natal, significam os frutos daquela Árvore da Vida, que é Jesus. Elas representam os dons maravilhosos que o nascimento de Jesus nos trouxe, e, ao mesmo tempo, as boas ações daqueles que vivem em Cristo.
Por sua vez, as luzes da árvore, simbolizam Jesus, a Luz do Mundo, o “Menino Luz” que nos veio visitar e iluminar!
Senhor, a Árvore da Vida, é Cruz... É Luz!
Que assim seja!